União Central Brasileira

União Central Brasileira

Desmond Doss: o soldado da paz

Conheça a mente do adventista que venceu a guerra sem tocar em armas.

Os motivos de Desmond Doss

Origem da paz

O mundo foi criado por Deus em sete dias com paz absoluta. Mais tarde, Jesus Cristo, um com Deus, veio em forma humana para promover a paz entre Deus e homens - e por esse propósito morreu. Atualmente, o Espírito Santo é quem convence o homem de seus pecados e do ministério de Jesus. Juntos, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo formam uma trindade.

Ameaça à paz

A paz no Universo foi interrompida quando Satanás declarou guerra contra Deus. A partir do pecado de Adão e Eva, a humanidade se tornou protagonista desse grande conflito cósmico. Desde 1844, a participação de cada pessoa nesse Grande Conflito tem sido avaliada. No entanto, a morte de Jesus na cruz e a intercessão que Ele faz pelos que nEle creem é a esperança de que a paz será restabelecida completamente.

Paz de um novo começo

A guerra está ligada ao pecado. Desde quando nasce, o homem é pecador. No entanto, existe uma chance de recomeçar por meio do comprometimento com Jesus. A demonstração pública deste novo começo é feita por meio do batismo, um símbolo da união com Cristo e do propósito de segui-lo.

Tratado de paz

Deus é justo, santo, compassivo e mantenedor da paz absoluta. O Seu caráter é revelado por meio dos dez mandamentos, um verdadeiro tratado sobre a paz. A vida de Jesus Cristo foi o exemplo perfeito de conduta por ter observado todas essas orientações, verdadeiros princípios fundamentais nas relações humanas.

Futuro de paz

A ressurreição de Jesus evidencia a certeza de que um dia aqueles que nEle creem também vencerão a morte. Isso acontecerá quando Cristo voltar à Terra para levar ao Céu aqueles que O escolheram, onde vão viver durante um milênio. Após esse período, Jesus retornará ao mundo para aniquilar o pecado para sempre. Este será o último capítulo do grande conflito. A Terra então será restaurada e a humanidade, enfim, voltará a viver a paz absoluta.

Dia de paz

Deus deu o privilégio ao homem de desfrutar o sábado como dia santo. Não se trata apenas de um dia de descanso dos trabalhos e preocupações deste mundo, mas também de uma prévia de como serão todos os dias quando a paz absoluta do universo for restabelecida pelo próprio Deus.

Nossos soldados da paz

Além de Desmond Doss, outros militares adventistas contribuíram e ainda contribuem com a paz. Para homenageá-los entregamos uma carta com um exemplar da biografia de Desmond Doss “Soldado Desarmado” em gratidão pelo compromisso cristão em representar os bons valores.

Os cristãos e a guerra

A guerra é um fenômeno social decorrente do pecado. Desde primeiro erro de Adão e Eva no Jardim do Éden, a humanidade sempre está em guerra, ou sob ameaça de guerra: "Porei inimizade entre tu [Satanás] e a mulher" (Gênesis 3:15). Diante da realidade da guerra, os cristãos devem sempre promover a paz e a reconciliação, na tentativa de evitar ou pôr fim a guerra.

A guerra é sempre ruim. Nunca haverá uma guerra justa. Existem algumas tentativas de se definir condições sob as quais seria correto cristãos participarem de guerras, mas isso são apenas tradições de guerra. Quando as leis civis obrigarem um cristão a participar de uma guerra, cabe a ele determinar sua participação no conflito, sempre levando em conta a lealdade a Deus. A Igreja, por sua vez, deve orientar os membros e apoia-los quando eles se recusarem a participar de conflitos armados.

Por ser um fruto do pecado, a guerra sempre existirá no contexto humano enquanto houver pecado. Ou seja, a paz mundial absoluta é uma utopia. Somente Deus pode acabar com as guerras para sempre.

Leia o texto completo e saiba em quais condições seria correto cristãos participarem de guerras:

Deus e a guerra

Na Bíblia, lemos sobre inúmeras guerras dos israelitas, povo escolhido por Deus. Algumas batalhas foram vencidas devido à intervenção divina. Qual a relação entre Deus e a guerra?

“As guerras de Israel não tinham fins religiosos. Deus nunca mandou exterminar um povo por causa de sua religião.”

Dr. Rodrigo Silva

Rodrigo Silva é doutor em Teologia Bíblica, com pós-doutorado em arqueologia bíblica. É graduado em teologia e filosofia e mestre em Teologia Histórica.

Leia a entrevista

“Israel deveria sempre propor a paz antes de sitiar a cidade.”

Pr. Edson Nunes

Edson Nunes é mestre em estudos judaicos pela USP, teólogo e professor de Hebraico e Antigo Testamento no Centro Universitário Adventista de São Paulo.


Leia a entrevista
Conteúdo Lucas Rocha
Jhenifer Costa
Késia Andrade
Colaboração Grupo de Pesquisa Excelsior! (Unasp)
Design Rodrigo Palheiro
Vídeos Fábio Lui