Ministério da Mulher

União Central Brasileira

História

A História dos Ministérios da Mulher

Os Ministérios da Mulher não são recentes. Em 1898 a Sra. S. M. I. Henry, encorajada por Ellen G. White, liderou o departamento dos ministérios da mulher na Igreja.

Sarepta Myranda Irish Henry nasceu na família de um ministro metodista. Sarepta passou sua infância e juventude seu pai em seus itinerários. Quando jovem, ela freqüentou o Rock River Seminary. Em 1861, casou-se com James W. Henry, professor que faleceu dez anos depois, deixando-a com três filhos pequenos. Ela conseguiu manter a família dando aulas e escrevendo histórias e poesias para publicação.

Em 1874, assustada ao ver seu filho ser tentado a entrar em um bar, decidiu organizar as mulheres cristãs de Rockford, Illinois, para promover ativamente a temperança. Gradualmente sua esfera de ação se ampliou e ela se tornou evangelista nacional da recém-organizada União de Temperança das Mulheres Cristãs (UTMC).

Devido a pesada carga de viagens e palestras, ela adoeceu. Esperando encontrar ajuda, foi para o Sanatório de Battle Creek. No final do verão de 1896, aceitou os ensinos dos adventistas do sétimo dia. Pouco depois, foi curada enquanto orava e reassumiu seu trabalho na UTMC.

Em 1898, elaborou um plano chamado de “ministério da mulher”. De costa a costa dos Estados Unidos e Canadá ela apresentou palestras dando ênfase ao papel da mãe na educação moral da sociedade.

Nesse mesmo ano, renunciou a seu cargo como evangelista nacional da UTMC a fim de devotar-se à mobilização das mulheres adventistas para a obra de Deus. Ela cria que as mulheres devidamente organizadas, treinadas e orientadas poderiam realizar uma obra igual, ou superior, à da UTMC.

Por essa ocasião recebeu uma carta de Ellen G. White, que escreveu:

“Irmã Henry:

“… Tenho pensado que com a sua experiência e a supervisão de Deus você poderá exercer sua influência para pôr em funcionamento as linhas de trabalho nas quais as mulheres poderiam se unir e trabalhar para o Senhor.
“Assinado: Sra. E. G. White”.

Em outra carta Ellen White diz:

“A obra que você está realizando para ajudar nossas irmãs a sentirem sua responsabilidade individual para com Deus é boa e necessária.

Em 1899 a Sra. Henry publicou uma coluna semanal na Adventist Review que tinha por título: “Mulheres na Obra do Evangelho”. A coluna trazia estudos bíblicos, poesia, cartas e conselhos práticos.

Em 12 de janeiro Sra. Henry adoeceu gravemente vítima de pneumonia, vindo a falecer no dia 16 de janeiro de 1900.

Nove mulheres, membros da comissão dos Ministérios da Mulher da Associação Geral, tentaram conduzir o trabalho por algum tempo. Porém, em junho de 1901 desapareceu a coluna das mulheres da Review and Herald. Desanimadas, sem sua líder, os Ministérios da Mulher deixaram de existir como departamento da igreja.

Em 4 de outubro, o Concílio Anual da Igreja Adventista do Sétimo Dia Mundial, votou a abertura do Departamento dos Ministérios da Mulher. Rose Otis foi eleita como sua diretora

Hoje, o Ministério da Mulher está consolidado e forte. Segue em sua missão de manter, encorajar e desafiar as mulheres em sua caminhada diária como discípulas de Jesus Cristo e como membros de Sua Igreja Mundial.