Missão Urbana

União Central Brasileira

35 ideias para melhorar o servições de cultos


Emilio Abdala

O serviço de adoração possui uma clara conexão com o evangelismo e o crescimento da igreja. Grande parte das nossas igrejas oferecem um apelo no final do serviço onde pessoas são convidadas a aceitar a Cristo ou a unir-se à igreja.[1] Logo, igrejas evangelísticas precisam planejar e conduzir o serviço de adoração levando em consideração as pessoas não salvas ou os convidados.[2] Considere as seguintes sugestões, designadas para acrescentar vida e vigor ao serviço de adoração. O culto inspirado é uma característica vital numa igreja que cresce. Estas sugestões não estão descritos com grandes detalhes, dando ampla oportunidade para cada congregação de adaptá-los às necessidades locais.

 

MENSAGEM

1. Dramatize uma passagem da Bíblia como parte do sermão.

2. Não conte uma história infantil no início do sermão, mas introduza uma “caixa de surpresas”. Verifique o conteúdo periodicamente para estimular curiosidade e use objetos da caixa como uma ilustração visual do sermão.

3. Tente um “sermão musical”. Escolha os hinos de tal maneira que sirvam aos objetivos da mensagem. Isso funciona bem se o tópico do sermão é o louvor.

4. Use gráficos e audiovisuais. Permita que a congregação veja mais do que ouve.

 

MÚSICA CONGREGACIONAL

5. Introduza variedade de acompanhamento instrumental para complementar o teclado e o piano. Isso aumentará a qualidade do cântico congregacional.

6. Aprenda um novo hino do hinário.

7. Tenha dois ou mais cantores de apoio com microfones à frente para encorajar a participação de todos.

8. Conclua o sermão com um apelo acompanhado por um hino cantado pela congregação com mãos erguidas, como símbolo de compromisso e unidade.

 

ORAÇÃO

8. Tenha três pessoas partilhando a oração. Uma responsável pelo louvor, outra pela gratidão e outra pela intercessão.

9. Convide uma criança para oferecer a oração inicial. As palavras podem ser simples, mas o impacto será grande.

10. Tenha pessoas de diferentes grupos da congregação oferecendo a oração cada semana. Aponte pessoas como representantes daquele grupo: pais, jovens, universitários, crianças, jovens casais, empresários, etc.

11. Aponte uma família, classe da Escola Sabatina, pequeno grupo ou desbravadores a oportunidade de orar. Cada pessoa do grupo pode oferecer uma frase. A participação é o elemento crucial aqui.

 

ESCRITURAS

12. Estabeleça uma família para ler a Bíblia, cada um tomando um segmento.

13. Tente a leitura antifonal, com jovens e idosos ou homens e mulheres. Lendo responsivamente segmentos da Bíblia.

14. Ilustre a leitura com slides, filmes ou vídeo. Use fundo musical para a leitura.

15.  Tenha um membro lendo o texto das Escrituras na forma de vídeo ou a gravação da voz ilustrada pelo slide de sua foto.

16.  Delegue a várias famílias a responsabilidade pela coleta das ofertas.

17.  Se for o dia da educação ou desbravadores, tenha crianças uniformizadas coletando as ofertas.

18.  Convide a congregação para trazer suas ofertas vindo à frente e depositando-as numa cesta. Isso providencia movimentação para os jovens adoradores.

 

BOAS VINDAS

19.  Leia a história da viúva durante o ofertório.

20.  Convide os membros a apresentar os convidados que eles trouxeram.

21.  Estimule o povo a cumprimentar os que estão próximos deles.

 

CRIANÇAS

22.   Se o programa está cheio, tire a história das crianças, mas prepare figuras para as crianças colorirem durante o sermão. Convide-as a virem à frente durante o hino fixando seus desenhos no mural.

23.   Recolha os desenhos à porta e fixe os melhores no quadro de anúncios.

24.   Planeje o culto das crianças uma ou duas vezes no ano. Deixe-as participar o quanto possível.

25.   Forme um conjunto de crianças.

26.   Convide as crianças a dramatizarem alguma história bíblica bem conhecida na frente da congregação.

 

TESTEMUNHO

27.   Entreviste alguém na congregação sobre sua conversão, profissão e ministério pessoal. Se algo realmente importante aconteceu a alguém, entreviste-a. Deixe a pessoa partilhar sua gratidão e alegria perante Deus e a congregação.

28.   Filme uma entrevista com um membro, dando à pessoa a chance de partilhar seu testemunho. Mostre a pessoa no seu trabalho, casa e na igreja.

29.   Providencie oportunidade para os membros expressarem emoção quando algo acontece que afeta a congregação: tragédias, maravilhosas bênçãos, crises, livramentos especiais, etc.

30.  Aponte duas pessoas para comentar o sermão, mostrando em que a verdade apresentada tem afetado a sua vida.

 

MISCELÂNEA

31.   Mude a sequência dos eventos. Não caia na rotina.

32.   Planeje períodos de meditação. O silêncio tem seu lugar.

33.   Traga famílias à plataforma. Elas podem ser responsáveis pelo hino, boas vindas, leitura de Bíblia, etc.

34.   Planeje a ceia para sexta à noite. Use pedaços grandes de pão e grandes cálices de vinho. Candelabros e o assentar-se ao redor de uma grande mesa podem dar efeito especial.


[1] Terry, J. M. (1997). Church evangelism : Creating a Culture for Growth in Your Congregation (143). Nashville, Tenn.: Broadman & Holman Publishers.

[2] Terry, J. M. (1997). Church evangelism : Creating a Culture for Growth in Your Congregation (143). Nashville, Tenn.: Broadman & Holman Publishers.

 

  • Robson Romero

    Penso que a principal tendência seja a simplificação. Tenho oobservado que algumas liturgias formam enormes listas de palavras indecifraveis sem a ajuda de um dicionário teológico: doxologia, introito, posludio, etc.

    Vamos tornar os cultos simples. O Manual da Igreja tem duas sugestões de liturgia. Uma delas é bastante simplificada. O termo “sugestão” implica que pode haver alterações.

    Outra preocupação está na linguagem. Todos os participantes do serviço de adoração devem ter a sensibilidade de que a audiência nem sempre está familiarizada com termos exclusivamente nossos como “UNASP” ou “JA”. Uma breve explicação com meia dúzia de palavras já inibe esse problema.